Ivan Sekretarev/AP
Ivan Sekretarev/AP

Rússia suspeita de atentado em acidente de trem que matou 30

60 ficaram feridos e 18 estão desaparecidos após descarrilamento em viagem de Moscou a São Petersburgo

Efe,

28 Novembro 2009 | 08h15

O descarrilamento de quatro vagões do trem 'Nevski Express', que fazia o trajeto entre Moscou e São Petersburgo, matou ao menos 30 pessoas e feriu outras 60 na sexta-feira, 27, na Rússia. O governo suspeita que o acidente tenha sido um atentado terrorista.

Segundo fontes das forças de seguranças citadas pela agência Interfax,  foi achado uma cratera de um metro de diâmetro que pode ter sido provocada por uma explosão na via férrea. Além disso, várias testemunhas disseram haver escutado uma forte explosão logo antes do acidente. "Tudo isto poderiam ser provas do possível atentado", disse um porta-voz da procuradoria russa.

Outras 18 pessoas que estavam no trem estão desaparecidas. Entre passageiros e tripulação viajavam 682 pessoas a bordo do trem, que desenvolve uma velocidade de até 200 quilômetros por hora e cobre em 4 horas e 30 minutos os 740 quilômetros que separam Moscou e São Petersburgo.

Os quatro últimos vagões do trem descarrilaram às 21h34 hora local da sexta-feira (15h34 de Brasília) a cerca de 25 quilômetros da cidade de Balogoye, no lance entre as estações Aleshinka e Uglovka, segundo o comunicado oficial das Ferrovias da Rússia

O presidente Dmitri Medvedev ordenou esta madrugada ao Serviço Federal de Segurança (FSB, antigo KGB) e à Procuradoria Geral investigar todas as circunstâncias do acidente e "esclarecer as causas do ocorrido", informou o serviço de imprensa do Kremlin.

Em agosto de 2007 um atentado com explosivos provocou o descarrilamento do mesmo 30. Na ocasião, 60 pessoas ficaram feridas.

Mais conteúdo sobre:
Rússia trEM ACIDENTE ATENTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.