Rússia testará mísseis perto da costa de França e Espanha

A Rússia enviou nesta terça-feira doisbombardeiros de longo alcance para a baía de Biscaia -- entre onorte da Espanha e o oeste da França -- para realizar testes delançamento de mísseis. O exercício é o maior da Marinha russana área desde a época soviética. Jatos Tornado e F-16 britânicos e noruegueses escoltaram osbombardeiros russos "Blackjack", informou a agência Interfax,citando a Força Aérea da Rússia. Um porta-voz do Ministério da Defesa da França disse queseu país havia sido informado sobre os exercícios russos. O lançamento de mísseis próximo à costa de França eEspanha, membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte(Otan), é a mais recente ação da Rússia para demonstrar força. Os bombardeiros se juntam a porta-aviões, navios de guerrae caça-submarinos das frotas russas dos mares Negro e doNorte. "A Força Aérea está tomando parte muito ativa nosexercícios da força de ataque da Marinha no Atlântico", disse aForça Aérea russa em nota. "Hoje, dois bombardeiros estratégicos Tu-160 partiram paraexercícios na baía de Biscaia, (onde) vão realizar váriasmissões e conduzir lançamentos de mísseis táticos." O popular presidente Vladimir Putin, próximo de concluirseu segundo mandato de quatro anos, usa os exercícios militarespara estimular o respeito interno e externo às forças russas,desmoralizadas pelo caos que se seguiu ao fim do regimesoviético, na década passada. Putin alega que precisa fazer grandes investimentosmilitares porque a Otan ampliou nos últimos anos sua área deinfluência para até as fronteiras da Rússia. Alguns analistas dizem que esse discurso belicista épopular entre os russos, mas que os gastos militares do Kremlinficam distantes dos de China, Grã-Bretanha e França e nãoalcançam nem um décimo dos gastos militares norte-americanos. Em dezembro, a Rússia anunciou manobras com 11 navios e 47aviões no Mediterrâneo. A frota em seguida se deslocaria paraexercícios no Atlântico. O porta-aviões Almirante Kuznetsov lidera a frota noAtlântico. A imprensa russa diz que a aviação da Otan acompanhaatentamente as manobras. "Este é um maior exercício do gênero na área desde ostempos soviéticos", disse um porta-voz da Marinha russa,prometendo mais detalhes para depois. Não está claro em que ponto da baía de Biscaia ocorrerão ostestes de mísseis. A Rússia disse que seus bombardeiros estratégicos Tu-95,chamados de "Ursos" pela Otan, vão se juntar às manobras naquarta-feira. "A partir de 23 de janeiro, o componente de avião na zonaonde os exercícios estão ocorrendo será ampliando, e osseguintes aviões participarão: Tu-160, Tu-95, Tu-22 M3, Il-78,A-50," disse a Força Aérea. (Reportagem de Guy Faulconbridge e Conor Sweeney)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.