Russos marcham para apoiar proibição de adoção por norte-americanos

Milhares de pessoas marcharam neste sábado por Moscou em uma organizada demonstração de apoio a uma proibição de adoção de crianças russas por norte-americanos, o que também serviu de propaganda aos pedidos do presidente Vladimir Putin de um maior cuidado dos russos com suas crianças órfãs.

Reuters

02 de março de 2013 | 12h32

Carregando faixas com slogans como "As Crianças são o nosso futuro" e "América - Tire as mãos de nossas crianças", ativistas misturaram críticas aos EUA com pedidos de melhora no sistema tutelar russo.

"Essas crianças são nossas. Não devemos entregá-las", afirmou Natalya Bakhinova, 56, que caminhava em uma das duas colunas lideradas por bandas marciais e que convergiram na Praça Pushkin, em Moscou.

A polícia disse que 12 mil pessoas participaram do protesto, e os organizadores negaram acusações de que foram forçados ou pagos para realizar a passeata.

Moscou tem apontado a morte de uma criança de três anos, nascida na Rússia, como justificativa para a proibição. A criança morreu em janeiro no Texas, onde os país adotivos moram.

A medida russa aumentou as tensões com os Estados Unidos, em meio a disputas relacionadas a temas como o conflito na Síria.

(Por Sonia Elks e Steve Gutterman)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAMANIFESTANTESCRIANCAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.