Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sarkozy amarga derrota no 1º turno das eleições municipais

A votação deste domingo era vista como um teste para o cada vez mais impopular chefe de Estado

Agências internacionais,

09 de março de 2008 | 21h10

O partido de centro-direita do presidente francês, Nicolas Sarkozy, União por um Movimento Popular (UMP), sofreu uma pesada derrota neste domingo, 9, no primeiro turno das eleições municipais - um resultado que pode debilitar seu governo menos de um ano após sua chegada ao poder. Uma projeção inicial do instituto CSA mostrou que os socialistas e outros partidos de esquerda tinham 47,5% dos votos e a UMP e outros partidos de direita, 40%. Os eleitores de toda a França votaram para prefeitos e outros líderes locais. Houve votação em todos os 36.700 distritos de cidades e vilarejos. O segundo turno será no dia 16. "Naturalmente, esses não são bons resultados", disse Patrick Devedjian, secretário-geral da UMP. A votação deste domingo era vista como um teste para o cada vez mais impopular chefe de Estado. Sarkozy, eleito em maio com a promessa de reformar a economia da França e modernizar suas instituições, vem sofrendo queda de popularidade por causa do aumento do custo de vida e pelo desencantamento com sua vida pessoal - principalmente com o romance do presidente com a cantora e ex-modelo Carla Bruni. Sarkozy tem hoje 37% de aprovação, uma queda de 28 pontos porcentuais em relação a maio. Os socialistas, divididos por disputas internas após a derrota de sua candidata, Ségolène Royal, na eleição presidencial, sentiram que esta era sua primeira oportunidade de atacar Sarkozy. Segundo as projeções, a esquerda deve manter o controle das duas principais cidades da França, Paris e Lyon, que eles conquistaram nas eleições municipais de 2001. Os socialistas também esperavam vencer na terceira principal cidade, Marselha, em Rouen, capital histórica da Normandia, em Lille e em alguns redutos da direita, como Estrasburgo e Toulouse.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições na França

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.