Sarkozy defende ampliação do Conselho de Segurança da ONU

O presidente francês, Nicolas Sarkozy,afirmou nesta terça-feira que a França fará o possível paraaumentar a lista dos membros permanentes do Conselho deSegurança da ONU e citou o Brasil, entre outros países. "Nós temos uma organização do século 20 para século 21, nãotem como funcionar", afirmou o chefe de Estado em entrevista àimprensa. "A França fará de tudo para que a Alemanha, o Japão, oBrasil, a Índia e um grande país africano se tornem membrospermanentes do Conselho de Segurança", disse ele, ressaltandoque nós não podemos "decidir as grandes questões do planeta semperguntar a opinião de pelo menos uma país africano"."A França será o advogado desses países para pedir umaorganização que corresponda ao mundo atual e não ao mundo dopassado", acrescentou o presidente. "Eu acredito atingir esse objetivo fazendo um apelo ao bomsenso, achando aliados e fazendo evoluir a reflexão sobre oassunto", respondeu Nicolas Sarkozy à pergunta de jornalistas."Eu escrevi aos países do G8 para lhes pedir isto, eu falei como primeiro ministro japonês, com o presidente norte-americano,é preciso que nós cheguemos a este resultado", insistiu.Sarkozy afirmou ainda que recentemente disse aosecretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban KiMoon, que a reforma do Conselho de Segurança "não pode maisesperar, pois o mundo não pode mais esperar". (Reportagem de Laure Bretton e Sophie Louet)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.