Sarkozy defende política nuclear para países emergentes

Francês afirma que utilização para usos pacíficos da energia nuclear é um direito das nações

Efe,

29 de abril de 2008 | 03h41

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, defendeu sua política de transferência de tecnologia nuclear aos países emergentes como a Tunísia, em uma declaração durante sua visita a este país, informaram nesta terça-feira, 29, fontes oficiais tunisianas. Sarkozy pronunciou segunda-feira à noite um discurso durante o jantar de gala oferecido por seu anfitrião, Zine al-Abidine Ben Ali, no qual assinalou que a utilização para usos pacíficos da energia nuclear é um direito das nações em vias de desenvolvimento. O líder francês também elogiou a ação do presidente tunisiano contra a propagação do extremismo religioso e para fazer frente ao terrorismo, e indicou que é necessário apoiá-la. Ao abordar o delicado assunto dos direitos humanos, expressou que viajou à Tunísia "como um amigo que não tem a intenção de dar lições sobre o assunto". "Devemos levar muito em conta que se amanhã ou mais tarde um regime do tipo taleban se instalar em um país do norte da África, a Europa não poderia ser considerada segura. Por isso, peço a todos que pensem sobre isso", disse Sarkozy. O presidente francês elogiou o fato de seu colega tunisiano "estar agindo para que o espaço das liberdades progrida em seu país". A Liga Tunisiana de Direitos Humanos criticou Sarkozy por seus elogios a Ben Ali, e os considerou "um insulto aos tunisianos, porque não correspondem à realidade".

Tudo o que sabemos sobre:
Françapaíses emergentesTunísia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.