Sarkozy diz que irá renegociar acordos militares na África

Presidente francês desembarca na África do Sul com comitiva de 40 presidentes de empresas

Associated Press e Reuters,

28 de fevereiro de 2008 | 07h47

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, chegou nesta quinta-feira, 28, para uma viagem de dois dias na África do Sul, onde deve firmar acordos políticos e econômicos. Diante do Parlamento sul-africano, ele afirmou que renegociará todos os acordos militares no continente africano por meio de vias diplomáticas   Foto: Associated Press   O chefe de governo e sua nova mulher, Carla Bruni, cumprimentaram o presidente Thabo Mbeki ao desembarcar no aeroporto e Sarkozy seguiu para as discussões bilaterais. Entre as negociações, deve ser abordada a construção do segundo reator nuclear sul-africano antes que a rival americana Westinghouse ofereça uma proposta. Fazem parte da comitiva francesa mais 40 presidentes de empresas francesas, incluindo a grande exportadora de energia elétrica EDF, o grupo industrial Alstom e a companhia nuclear Areva.   A África do Sul sofre com o fornecimento de eletricidade e a expansão do programa nuclear para geração de energia é considerado um caminho para solucionar a crise.   Sarkozy chegou na quarta-feira ao Chade, onde se reuniu com seu colega Idriss Deby para tratar do desaparecimento de líderes da oposição durante o conflito no início do mês. Deby concordou em iniciar uma investigação sobre o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.