Sarkozy e Brown fecham acordos, mas discordam sobre Pequim

Líderes anunciam acordos nas áreas de defesa e energia, mas boicote às Olimpíadas continua dividindo opiniões

Agências internacionais,

27 de março de 2008 | 18h16

O presidente francês Nicolas Sarkozy terminou nesta quinta-feira, 27, uma ambiciosa visita ao Reino Unido, selando um bilionário acordo de defesa e prometendo cooperação na pressão internacional contra os Estados Unidos na questão das mudanças climáticas no uso da energia nuclear. O boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim, no entanto, foi um dos raros ponto de discordância entre os líderes - Sarkozy considera um possível boicote, enquanto o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, insiste que o Reino Unido não vai aderir à decisão.   Veja também: Carla Bruni rouba a cena em Windsor Paris quer ''irmandade'' na região Parceria franco-britânica é crucial para que Europa tenha força Veja as imagens da visita    Sarkozy desembarcou no Reino Unido na quarta-feira, 26, para reuniões com a rainha Elizabeth II e com o primeiro-ministro Gordon Brown. O presidente francêns pediu às duas Câmaras do Parlamento britânico uma nova era de cooperação entre os países, e nesta quinta-feira, após os acordos, Brown definiu a nova relação como um "entendimento formidável."   Entre as áreas em que ambos querem aprofundar a cooperação está a questão da energia nuclear. O Reino Unido deseja aproveitar a experiência técnica da França nesse tipo de energia - que corresponde à 80% do total do país -, enquanto algumas empresas francesas têm interesse em entrar no mercado britânico. Seguindo os acordos, a companhia EADS, dona da empresa aérea Airbus, informou que fechou um contrato de cerca de US$ 26 bilhões em aviões-tanque com o governo britânico.   Além disso, os dois chefes de Estado firmaram um acordo para promover maior colaboração entre as instituições financeiras para prevenir futuras crises, como a que atualmente afeta os mercados. "Não é simplesmente um caso de uma noite. Acho que podemos ficar para o café da manhã do dia seguinte", brincou Sarkozy, ao ser perguntado se a proximidade mostrada durará além de sua visita de dois dias ao Reino Unido.   Mesmo com a transcendência histórica e política que os dois dirigentes dão à visita de Estado do presidente francês, a primeira em 12 anos, a manchete dos principais jornais abordava outro assunto - a primeira-dama francesa, Carla Bruni, que chegou a ser batizada de nova princesa Diana.   Em entrevista coletiva, Sarkozy se confessou "profundamente emocionado" com o tratamento dado à sua mulher. Enquanto os observadores britânicos analisam quais vantagens Brown espera obter na série de acordos firmados, o casal Sarkozy fez sucesso no Reino Unido - um alívio para a baixa popularidade que o presidente francês tem em casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.