Sarkozy lamenta ter maltrato homem em feira, mas não se desculpa

O presidente da França, Nicolas Sarkozy,disse em entrevista publicada na terça-feira que deveria terresistido ao impulso de xingar um homem que o destratou duranteuma feira agrícola no fim de semana. O presidente, porém, nãochegou a se desculpar pelo gesto. Um vídeo do incidente, divulgado no site do jornal LeParisien e transformado em sucesso imediato na Internet, mostraSarkozy insultando um homem que se recusou a apertar sua mão. "É difícil mesmo quando se é o presidente não reagir a uminsulto", disse Sarkozy a leitores do Le Parisien, numaentrevista que, segundo o jornal, estava agendada comantecedência. "Só porque você é o presidente não significa quese torne um capacho. Dito isto, eu teria feito melhor em nãoresponder." Mas a entrevista provocou mais controvérsia, pois Dominiquede Montvalon, editor do Le Parisien, afirmou ao Canal Plus queSarkozy nunca pronunciou a última frase, na qual se arrependiada resposta grosseira -- ela teria sido acrescentada porassessores posteriormente à entrevista. O editor disse que na quarta-feira o Le Parisien vaipublicar a versão original da entrevista. O gabinete de Sarkozy disse que, mesmo que a frase nãotenha sido proferida, ela representa o que se passa na cabeçado presidente. O incidente na feira agrícola ocorre num momento em queSarkozy vê sua taxa de aprovação desabar para 36 por cento,menor índice desde sua eleição, em maio de 2007, e uma queda de19 pontos em apenas três meses. Na entrevista, Sarkozy minimizou a importâncias daspesquisas, segundo as quais o primeiro-ministro François Fillonvem ofuscando politicamente o chefe. "Não dá para acreditar que quando as pesquisas são boasestá tudo indo bem e que quando as pesquisas são ruins estátudo indo mal", afirmou. "Minha visão sobre o papel dopresidente não é cultivar a amizade, ser o amigo que alguémsonharia em ter. É meu dever ser hiperativo para despertar umpaís que estava cochilando. Se eu não bato na mesa, se nãoexijo resultados, nada acontece." (Com reportagem de Laure Bretton)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.