Sarkozy pode se casar com cantora em fevereiro, diz jornal

Casamento do presidente francês seria dia 9 de fevereiro; sauditas pedem que ele visite país sem namorada

Reuters,

06 de janeiro de 2008 | 11h50

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, poderia se casar com a cantora e ex-modelo italiana Carla Bruni no início do próximo mês, informou no domingo um jornal francês sem identificar fontes. Em uma notícia amplamente repercutida nas rádios e TVs da França, o Journal du Dimanche afirmou que Sarkozy havia dado a Carla um anel de compromisso de diamantes, e recebeu em troca um relógio suíço da marca Patek Philippe. "Vão se casar! Em 9 de fevereiro", deu como manchete o jornal, com uma fotografia de Sarkozy e Bruni, ambos com óculos de sol, quando visitavam as ruínas de Petra, na Jordânia, no final de semana.  A assessoria de Sarkozy negou-se a fazer comentários sobre a notícia.    Um alto diplomata saudita pediu ao presidente francês que não leve sua namorada, a ex-modelo e cantora Carla Bruni, quando visitar a Arábia Saudita no final do mês, em respeito à cultura islâmica.  Sarkozy divorciou-se de sua ex-mulher Cecilia em outubro e assumiu publicamente seu relacionamento com Carla Bruni em suas recentes viagens pelo Egito e Jordânia, atraindo críticas na França de descuido com a imagem presidencial.  O diplomata saudita, que preferiu não se identificar devido à gravidade da questão, disse que Sarkozy deveria viajar sem Carla Bruni por "motivos religiosos" quando visitar o reino, em 13 de janeiro. De acordo com a estrita interpretação da lei islâmica imposta na Arábia Saudita, um homem e uma mulher que não sejam legalmente casados não podem ficar juntos sozinhos. Ocidentais devem conformar-se às regras em público, e vários hotéis não aceitam hospedar casais que não sejam oficialmente casados.  O escritório de Sarkozy disse que ainda não definiu a composição da delegação. Mas vários oficiais na França declararam que Carla não tinha planos de ir à Arábia Saudita. O presidente francês foi criticado por vários oficiais egípcios em dezembro por dividir o quarto de hotel com Carla Bruni quando esteve de férias no país, conforme relatou a imprensa local.  O analista político francês Dominique Moisi disse que o pedido de casamento de Sarkozy poderia ser uma tentativa de evitar futuras confusões. De acordo com uma pesquisa de opinião pública, realizada pelo instituto francês CSA e publicada no último sábado, 5, a popularidade do presidente caiu em sete pontos, principalmente entre as categorias populares e pessoas de 50 a 64 anos.  Stéphane Rozes, diretor do instituto de pesquisa, disse ao jornal Le Monde que "a exposição na mídia da vida pessoal do presidente está incomodando setores tradicionais de apoio a Sarkozy".

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCASARKOZY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.