Sarkozy promete ações duras para conter violência na França

Violência nos subúrbios entra na terceira noite e dezenas de pessoas são detidas em noite sem confrontos

LAURE BRETTON, REUTERS

28 de novembro de 2007 | 07h26

Em visita a policiais feridos durante confrontos, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, prometeu nesta quarta-feira, 28, ser duro contra pessoas que participaram de atos violentos em alguns subúrbios do país. Jovens de subúrbios de Paris e da cidade de Toulouse, no sul, queimaram diversos carros e incendiaram lixos na terceira noite de violência. Mas as autoridades relataram que não houve choques significativos entre os jovens e a polícia, em peso nos locais. Pouco depois de retornar à França de uma viagem à China, Sarkozy foi a um hospital em um subúrbio no norte de Paris onde um policial está internado com ferimentos graves seguindo-se a um ataque no domingo, quando se iniciou a violência. Sarkozy, que era ministro do Interior durante outra onda de violência dois anos atrás, prometeu que os agressores enfrentarão a justiça. Segundo ele, disparar contra um policial tem "nome: tentativa de assassinato". "Encontraremos quem disparou. Mobilizaremos os recursos necessários. Não é algo que podemos tolerar." A nova onda de distúrbios começou quando dois jovens foram mortos em uma colisão com um carro de polícia.  Segundo a BBC, a polícia afirma que a moto atingiu o lado do carro da patrulha, mas os jovens afirmam que os dois adolescentes foram atingidos de propósito. Eles não estavam usando capacetes. A violência lembra os acontecimentos de 2005 no país, quando milhares de carros foram queimados após dois jovens serem eletrocutados ao, aparentemente, fugindo da polícia. Ainda nesta quarta-feira, Sarkozy deve se encontrar com o prefeito socialista de Villiers-le-Bel, local do acidente envolvendo os jovens. Além disso, ele terá uma reunião sobre segurança com ministros.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaSarkozyviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.