Sarkozy promete pulso firme contra arruaceiros

O presidente francês, NicolasSarkozy, prometeu na quarta-feira punir arruaceiros quealvejarem policiais, mas prometeu uma investigação independentesobre a morte de dois jovens, estopim dos atuais distúrbios. Pela terceira noite seguida, jovens dos subúrbios de Parise de Toulouse (sudoeste) incendiaram carros e lixeiras, mas,diante da forte presença policial na capital, a situação foibem mais calma do que nas duas noites anteriores. As autoridades disseram que não houve incidentes gravesentre policiais e jovens na zona norte da capital francesa,onde se mistura uma população de brancos, magrebinos e negros,num ambiente de degradação habitacional, desemprego elevado ecriminalidade. Momentos após desembarcar de uma viagem à China, Sarkozyfoi a um hospital de Eaubonne, subúrbio de Paris, onde estáinternado em estado grave um oficial da polícia agredido nodomingo, no início da onda de violência. Sarkozy elogiou a coragem do oficial e disse que nadajustificaria tal violência. Disparar contra policiais, lembrouSarkozy, "tem um nome: tentativa de homicídio", e "quem sedispuser a balear um policial vai se ver com a corte de Assizes[que julga casos graves]." Há dois anos, durante uma onda semelhante de distúrbios, ohoje presidente era ministro do Interior e se popularizou com adura repressão. Aquela foi a pior onda de distúrbios na Françaem 40 anos, iniciada quando dois adolescentes morrerameletrocutados, aparentemente fugindo da polícia. No domingo passado, dois jovens morreram numa colisão damotoneta em que estavam com um carro de policia. Parentes dasvítimas acusaram os policiais de omissão de socorro. Apesar de serem franceses, os dois rapazes devem serenterrados nos países de seus pais -- Marrocos e Senegal. (Por Laure Bretton, Gerard Bon e Sophie Louet)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.