Sarkozy reúne-se com o chefe do Estado sírio

Encontro quer desbloqueio da relações estremecidas desde o assassinato do ex-primeiro-ministro em 2005

Efe

12 de julho de 2008 | 13h27

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, se reuniu neste sábado (12), com o chefe do Estado sírio, Bashar al-Assad, em uma reunião que ensaia o desbloqueio das relações bilaterais, após a crise de 2005 devido ao assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafik Hariri.   Assad e Sarkozy apertaram as mãos e posaram para os fotógrafos no Palácio do Eliseu depois que o presidente sírio passou revista a um destacamento da Guarda Republicana, e depois começou a reunião.   O encontro foi precedido por uma reunião entre Sarkozy e o presidente do Líbano, Michel Suleiman, e irá seguido de outro que reunirá os três junto com o presidente do Conselho de Cooperação do Golfo, o emir do Catar, xeque Hamad Bin Khalifa al-Thani, e depois haverá uma declaração conjunta.   A visita de Assad a Paris é a primeira com caráter oficial desde junho de 2001 e representa a volta do presidente sírio ao cenário internacional após o desbloqueio da crise política no Líbano, e o início das conversas indiretas entre Israel e Síria, com a mediação da Turquia.   Síria   O presidente da França, Nicolas Sarkozy, viajará à Síria "antes de meados de setembro", a convite do chefe de Estado sírio, Bashar al-Assad, anunciou um comunicado conjunto emitido após a reunião entre os dois no Palácio do Eliseu.   Em sua reunião, os dois presidentes destacaram a importância do tema sírio-israelense do processo de paz no Oriente Médio e tomaram nota dos progressos alcançados nas conversas indiretas entre a Síria e Israel promovidas pela Turquia, acrescenta o texto.   Assad manifestou seu desejo de que a "França, junto aos Estados Unidos, possa dar toda contribuição a um futuro acordo de paz entre Israel e Síria, na fase de negociação direta e na aplicação do acordo, incluindo as regras de segurança que possam ser necessárias", diz o texto.   Sarkozy expressou "a disponibilidade da França" para responder a todo pedido neste sentido "se as partes tiverem interesse nisso".   O encontro dos dois líderes, às vésperas da cúpula de Paris entre a UE e os países mediterrâneos, marca a retomada nas relações franco-sírias e o retorno de Assad à cena política internacional.   Além disso, o presidente francês, que ocupa a Presidência rotativa da UE, se comprometeu a lançar "os procedimentos apropriados" de olho em um acordo de associação entre a UE e Síria e no lançamento do processo de ratificação "o mais rápido possível".   Sarkozy e Assad deixaram claro seu "pleno apoio" ao acordo de Doha (Catar), alcançado pelas principais forças políticas libanesas em maio para buscar uma saída à crise no Líbano.   Sarkozy ressaltou a "forte determinação" de Assad para estabelecer "relações diplomáticas com o Líbano após a formação do novo Governo libanês de união nacional".   Os presidentes da França, da Síria e do Líbano, assim como o emir do Catar, xeque Hamad Bin Khalifa al-Thani, se reúnem esta tarde no Palácio do Eliseu para tratar em particular as perspectivas no Líbano, onde ontem se formou finalmente o novo Governo.

Tudo o que sabemos sobre:
SarkozyLíbanoFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.