Sarkozy viaja ao Chade para discutir detenção de franceses

Dezessete cidadãos europeus - entre eles nove franceses - são acusados de seqüestrar 103 crianças africanas

Associated Press e Efe,

04 de novembro de 2007 | 08h03

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, partiu na manhã deste domingo, 4, para o Chade para discutir a libertação de 17 cidadãos europeus acusados de tentar seqüestrar 103 crianças africanas.   Veja Também  Juiz do Chade interroga europeus em caso de rapto de crianças Acusados de rapto de crianças no Chade são julgados Chade: ONGs buscam origem de crianças Crianças que seriam levadas do Chade não eram órfãs, diz ONU   Os europeus - entre eles nove franceses - foram presos no mês passado quando membros da ONG Arca de Zoe foram impedidos de embarcar em um vôo com as crianças para a Europa. O governo chadiano acusa o grupo de tráfico de menores, enquanto a organização argumenta que os supostos órfãos seriam adotados por famílias européias.   Segundo o palácio do Eliseu, Sarkozy discutirá com o presidente chadiano, Idriss Deby, uma forma de garantir "proteção consular" aos detidos franceses e prometerá "cooperação judicial entre a França e o Chade" para investigar o caso. O país africano foi colônia francesa até meados do século 20.   Ainda de acordo com o cerimonial francês, Sarkozy também tratará da situação dos outros cidadãos franceses presos na operação.   A Arca de Zoe mantém a posição de que suas intenções eram puramente humanitárias e que realizou levantamentos detalhados para confirmar a situação das crianças. A informação inicial sobre os menores - que na sua maioria têm entre três e cinco anos de idade - é de que tratavam-se órfãos de vítimas da guerra civil em Darfur, região sudanesa vizinha ao Chade.   No entanto, dias após a eclosão do escândalo, soube-se que as crianças poderiam ser chadianas e, segundo relatórios de agências da ONU, a grande maioria delas afirmava viver em uma casa com pelo menos um adulto que poderia ser descrito como parentes próximos.   Jornalistas   Entre os detidos há três jornalistas franceses e os tripulantes da aeronave que seria usada no transporte das crianças. A tripulação incluía espanhóis e o piloto, de origem belga.   Na quinta-feira, Deby disse em um pronunciamento televisivo que os jornalistas e os tripulantes da aeronave devem ser libertados em breve.   Segundo informações da mídia francesas neste domingo, Sarkozy deve trazer os jornalistas abordo do avião presidencial.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaChadeArca de Zoe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.