Segundo dia de greve no metrô cria caos em Londres

Nove linhas operam na cidade estão paradas; metroviários prevêem nova paralização na próxima semana

REUTERS

04 de setembro de 2007 | 10h03

Milhões de usuários do metrô londrino enfrentam uma situação caótica na terça-feira, 4, no segundo dia de uma greve de 72 horas dos funcionários da manutenção, que obrigou ao fechamento da maioria das estações.A empresa Transport for London (TfL) disse que os transtornos são "severos e inaceitáveis", já que só 3 das 12 linhas funcionam.Muitos dos 3 milhões de passageiros que costumam pegar o metrô em Londres diariamente tiveram de encontrar formas alternativas de chegar ao trabalho. Os ônibus ficaram lotados."Compartilhamos a opinião dos londrinos de que a interrupção é intolerável, pois não serve a propósito algum", disse um porta-voz da TfL.Cerca de 2.300 funcionários da falida empresa de manutenção Metronet abandonaram o trabalho às 18h de segunda-feira, reivindicando melhores empregos e pensões.Embora o fim da greve esteja previsto para às 18 horas de quinta-feira, o caos deve se estender até sexta.A Metronet tinha um contrato de 30 anos para conservar a infra-estrutura em nove linhas do metrô. Por estourar seu orçamento em 2 bilhões de libras, a empresa não vinha recebendo crédito e quebrou em julho.

Tudo o que sabemos sobre:
LONDRESMETROGREVE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.