Semanário com cartuns de Maomé causa revolta contra a França

Revoltas no mundo muçulmano por filme que satiriza o profeta ocorrem desde a semana passada

Reuters

19 de setembro de 2012 | 08h05

PARIS - O semanário de humor francês Charlie Hebdo ridicularizou o profeta Maomé nesta quarta-feira, 19, ao mostrá-lo nu em cartuns, o que deve inflamar ainda mais os ânimos de muçulmanos em todo o mundo, já indignados com um filme que zomba do profeta, colocado na Internet.

Veja também:

linkBomba fere 4 em loja judaica na França

linkFrança diz que fechará embaixadas em 20 países

linkAtaque motivado por filme mata 12 em Cabul

As autoridades francesas, que haviam feito um apelo ao tablóide para que não publicasse os cartuns, anunciaram nesta quarta-feira que fecharão temporariamente suas embaixadas e escolas em 20 países na sexta-feira - dia das orações muçulmanas -, pois temem que o material cause ainda mais protestos no mundo islâmico.

Caricaturas

A capa do semanário mostra um judeu ortodoxo empurrando uma figura de turbante, que está numa cadeira de rodas, sob o título "Os intocáveis 2", em alusão a um filme lançado recentemente no país. Há ainda a inscrição "Sem zombaria".

Nas páginas internas da edição que circula nesta quarta-feira, há várias caricaturas do profeta, incluindo algumas em que ele aparece nu.

O ministro francês de Relações Exteriores, Laurent Fabius, criticou a decisão da Charlie Hebdo, classificando-a como uma provocação, e anunciou que ordenou o reforço da segurança nas missões diplomáticas do país no mundo muçulmano.

Veja imagens da revolta com as imagens de Maomé:

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCACHARLIEHEBDOCARTUM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.