Senadora italiana faz greve de fome por imigrantes ilegais

Angela Marevantano protesta contra as 'tragédias do mar' que atingem ilegais que tentam chegar à Itália

Efe,

02 de agosto de 2008 | 16h42

A senadora italiana Angela Marevantano iniciou neste sábado, 2, uma greve de fome para pedir que parem as "tragédias do mar", que atingem os imigrantes ilegais que tentam chegar à Itália pelo oceano. "Estou disposta até a morrer para conter estas tragédias no mar e os desembarques contínuos na minha ilha", disse Marevanto, citada pela imprensa local, em referência à ilha de Lampedusa.   Veja também: Itália declara estado de emergência por fluxo de imigrantes   Maraventano iniciou sua greve de fome a bordo de uma pequena embarcação na entrada do porto de Lampedusa, onde está fixada uma bandeira de seu partido, que é conhecido por sua rigidez nas políticas migratórias.   Além disso, explicou que seu protesto era contra o líder líbio, Muammar Kadafi, que "não pode seguir permitindo que aconteçam saídas (de embarcações) das costas de seu país, pois depois terminam em tragédias no mar."   Lampedusa fica a mais de 100 quilômetros do litoral líbio e é constante cenário da chegada de embarcações com imigrantes ilegais. Maraventano espera que seu gesto de iniciar uma greve de fome "sirva para que ele (Kadafi) tente entender que é preciso salvar a esta gente."  

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliaimigração ilegal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.