Reuters
Reuters

Sentença conclui que advogado mentiu para absolver Berlusconi

David Mills foi considerado culpado por receber dinheiro por testemunho falso em processo de corrupção

Efe,

19 de maio de 2009 | 17h25

O advogado inglês David Mills mentiu para "proporcionar impunidade a Silvio Berlusconi e ao grupo Fininvest", segundo a sentença publicada nesta terça-feira, 19, pelo Tribunal de Milão, que em 17 de fevereiro condenou o profissional a quatro anos e meio de prisão. Mills foi considerado culpado de receber dinheiro em troca de falsear seu testemunho em dois processos de corrupção contra Berlusconi, nos quais o político e empresário foi absolvido.

 

A sentença indica que o objetivo de Mills era "a manutenção do lucro conseguido" por Berlusconi e sua empresa, além de garantir a impunidade do atual primeiro-ministro da Itália. Berlusconi disse nesta terça, na inauguração de um centro policlínico, que responderá a este assunto no Parlamento.

 

Segundo o Tribunal de Milão, a Fininvest - sociedade da família Berlusconi - pagou US$ 580 mil a Mills. O advogado inglês prestou depoimento em novembro de 1997, no processo pelo suposto pagamento de comissões a funcionários do Ministério das Finanças em troca de tratamento fiscal favorável à Fininvest.

 

Também depôs em 1998 no caso All Iberian, sociedade fictícia criada pela Fininvest que teria falsificado seus balanços para financiar ilegalmente vários partidos políticos. Durante o processo, Mills eximiu Berlusconi de culpa ao garantir que ninguém tinha tentado corrompê-lo.

 

O processo contra Berlusconi foi adiado, à espera do pronunciamento do Tribunal Constitucional, após a aprovação no ano passado de uma lei que dá imunidade a quatro altos cargos do Estado, entre eles o chefe do Executivo.

Tudo o que sabemos sobre:
BerlusconiItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.