Sérvia descobre pistas sobre ex-general ligado a crimes de guerra na Bósnia

Ratko Miladic é acusado de genocídio em Srebrenica; sua prisão ajudaria entrada do país na UE

Efe,

14 de setembro de 2010 | 12h02

BELGRADO- As autoridades sérvias anunciaram nesta terça-feira, 14 a descoberta de e-mails que serão usados para tentar localizar ex-general Ratko Mladic, acusado de crimes de guerra no conflito na Bósnia (1992-1995) e foragido há 15 anos.

Segundo o jornal "Blic", as mensagens foram localizadas no computador de um antigo guarda-costas de Mladic, que foi chefe das forças militares servo-bósnias durante a guerra.

De acordo com fontes ligadas à investigação, o computador foi apreendido na sexta-feira passada durante ação policial no apartamento de Branislav Puhalo, ex-chefe de segurança de Mladic, em Belgrado. "Esperamos que isso possa ajudar a encontrar Mladic", declararam as fontes ao jornal.

A batida na casa de Puhalo fez parte de uma operação que aconteceu em diferentes empresas e domicílios de supostos colaboradores e alguns familiares de Mladic.

"(A busca de Mladic) é a tarefa número um, e vamos completá-la. Trabalhamos 24 horas por dia para cumprir nosso compromisso internacional e não vamos parar até conseguir", declarou o fiscal sérvio de crimes de guerra, Vladimir Vukcevic.

Nos últimos anos, a polícia sérvia vasculhou em várias ocasiões a casa do militar em Belgrado, em busca de informações e pistas que possam dirigir a seu paradeiro.

Em junho, a família de Mladic pediu que ele fosse declarado morto, após sete anos sem informações, mas as autoridades disseram que essa solicitação, ainda não concedida, não afetará a busca do acusado.

Mladic é acusado pelo Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) de genocídio em relação ao massacre de cerca de oito mil homens muçulmanos da localidade bósnia de Srebrenica.

Além disso, é responsabilizado por crimes durante o ataque a Sarajevo e em geral durante o conflito.

Sua captura e entrega à Justiça é uma condição essencial para prosseguimento do processo de entrada da Sérvia na União Europeia (UE).

O TPII reivindica que a Sérvia também entregue Goran Hadzic, antigo líder sérvio da Croácia. Mladic e Hadzic são os únicos acusados pelo TPII que seguem em liberdade.

Tudo o que sabemos sobre:
SérviaGuerra da BósniaRatko Mladic

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.