Sérvia deve definir estratégia e analisar decisão sobre independência de Kosovo

Governo convoca reunião de emergência e fala em 'iniciativa diplomática

Efe

23 de julho de 2010 | 09h41

BELGRADO - O governo da Sérvia se reunirá na tarde desta sexta-feira, 23, em uma sessão extraordinária para analisar a opinião da Corte Internacional de Justiça (CIJ), que considerou legal a declaração unilateral de independência de Kosovo, e determinar os próximos passos.

 

Veja também:

linkBósnia analisa direitos e estuda declarar independência

 

O primeiro-ministro sérvio, Mirko Cvetkovic, declarou nesta sexta que a decisão da Corte exige "uma análise minuciosa", e anunciou uma "iniciativa diplomática" para que a Sérvia se prepare para um debate na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) "A postura da Sérvia é que a solução para o Kosovo só pode ser conseguida mediante um diálogo, que levaria a uma paz duradoura e estável", disse Cvetkovic.

 

A CIJ decidiu na quinta que a declaração unilateral da independência do Kosovo por parte dos albano-kosovares, no dia 17 de fevereiro de 2008, "não violou o direito internacional".

 

A Sérvia considera que a CIJ evitou se pronunciar sobre a secessão "como questão substancial", limitando-se ao conteúdo técnico da declaração da independência. As autoridades sérvias anunciaram que proporão uma resolução à Assembleia Geral da ONU no outono em uma tentativa de abrir passagem a novas negociações sobre o estatuto do Kosovo, embora admitam que "a luta será difícil e longa".

 

A Sérvia considera Kosovo parte de seu território e insiste que não reconhecerá sua independência. Até agora, a independência unilateral do Kosovo foi reconhecida por 69 países, entre eles EUA, Japão e 22 membros da União Europeia (UE), mas não pela Espanha, Rússia, China, Brasil e Índia, entre outras nações.

Tudo o que sabemos sobre:
sérviaKosovoindependência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.