Sérvia diz que não reconhecerá independência do Kosovo

Em reunião do Conselho de Segurança, presidente sérvio diz que não usará violência para conter separatistas

REUTERS

16 de janeiro de 2008 | 20h10

O presidente sérvio disse nesta quarta-feira que o país nunca reconhecerá a independência do Kosovo, mas não usará a violência para evitar que os albaneses étnicos estabeleçam seu próprio Estado. "A Sérvia nunca reconhecerá a independência do Kosovo e vai preservar sua integridade territorial e soberania de todas as formas democráticas, argumentos legais e diplomacia", afirmou o presidente Boris Tadic ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). "A Sérvia não vai apelar para a violência e a guerra." O novo premiê de Kosovo, o albanês étnico e ex-guerrilheiro Hashim Thaci, também deveria falar ao Conselho de Segurança em uma sessão fechada. Os quase dois milhões de albaneses de Kosovo devem declarar independência depois da eleição presidencial sérvia no fim deste mês. Mas Belgrado está dizendo aos sérvios em Kosovo para ignorar esse movimento, elevando as perspectivas de uma separação étnica da província. Diplomatas ocidentais disseram que o debate desta quarta-feira não afeta o futuro status do Kosovo. Com a Rússia firme ao lado da Sérvia, os diplomatas disseram que os EUA e a União Européia acreditam que não existe nada que o Conselho de Segurança possa fazer. A UE assumiria a polícia da ONU e funções da Justiça, com as tropas da Otan continuando a manter a ordem no momento em que Kosovo declarar independência, dizem eles.

Tudo o que sabemos sobre:
SérviaIndependênciaKosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.