Sérvia restitui diplomacia nos países da UE que aceitam Kosovo

Governo reinstala embaixadores em nações que reconhecem independência para favorecer ingresso na UE

Agências internacionais,

24 de julho de 2008 | 11h28

A Sérvia decidiu reinstaurar os embaixadores retirados das representações diplomáticas do país nos integrantes da União Européia (UE) que apoiaram a independência de Kosovo. A informação foi divulgada pelo ministro sérvio das Relações Exteriores, Vuk Jeremic. Para o chanceler, o retorno dos embaixadores a seus postos ajudará a Sérvia a um dia ingressar na UE.   Belgrado retirou os embaixadores em protesto contra as capitais que aceitaram a independência de Kosovo, no início deste ano. A separação da província sérvia foi reconhecida pelos Estados Unidos e por 20 dos 27 países da UE.   A Sérvia não tem planos de voltar a enviar embaixador a Washington e a países de fora da UE que reconheceram a independência de Kosovo. Segundo a BBC, a União Européia decidiu liberar cada um dos países-membros do bloco para decidirem se reconhecem ou não a separação.   O Kosovo, de maioria albanesa, autoproclamou sua independência em fevereiro, mas a Sérvia ainda o considera como uma província do país e parte inalienável do território sérvio, e deixou claro que não reconhecerá a soberania nunca. Para a Sérvia, apoiada pela Rússia, essa proclamação unilateral é uma violação flagrante do direito internacional e da Carta das Nações Unidas.   Até agora, 43 países reconheceram o Kosovo, a maioria deles ocidentais, como os EUA e 20 dos 27 países da UE. Os sete países do bloco que não reconheceram a soberania do Kosovo são: Espanha, Chipre, Malta, Portugal, Eslováquia, Grécia e Romênia. A Sérvia insiste em que prosseguirá a luta diplomática e política para preservar a integridade territorial e soberania da nação.

Tudo o que sabemos sobre:
SérviaUnião EuropéiaKosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.