Sérvios de Kosovo farão referendo sobre governo central

Três em cada quatro municipalidades administradas por sérvios no norte de Kosovo decidiram fazer um referendo no início de 2012 para decidir se reconhecerão o governo central, dominado por kosovares albaneses, disse uma autoridade local nesta quinta-feira.

BRANISLAV KRSTIC, REUTERS

29 de dezembro de 2011 | 11h58

Kosovo, composto por 90 por cento de albaneses étnicos, declarou independência da Sérvia em 2008. Os sérvios dominam uma pequena área no norte, na fronteira com a Sérvia, e declararam lealdade a Belgrado, resistindo aos esforços do governo de Kosovo de ampliar sua autoridade.

Conselhos municipais de Kosovska Mitrovica, Zubin Potok e Zvecan, dirigidos por nacionalistas sérvios, marcaram a votação para 15 de fevereiro, mas o conselho de Leposavic, dominado por democratas leais ao presidente da Sérvia, Boris Tadic, continua indeciso, disse o prefeito de Leposavic, Branko Ninic.

"A Constituição sérvia estipula claramente que Kosovo é parte da Sérvia e um referendo não é necessário, principalmente se a medida não for coordenada com o governo em Belgrado", disse Ninic.

A região sem lei testemunhou explosões de violência este ano, depois que as autoridades de Kosovo, a missão policial da Uniao Europeia (EULEX) e as tropas de paz da Otan (KFOR) tentaram assumir o controle de dois postos de fronteira com a Sérvia, em julho.

Em resposta, os sérvios ergueram barricadas e resistiram aos esforços da Kfor de submetê-los ao governo central. Dezenas de pessoas ficaram feridas em confrontos e um policial de etnia albanesa morreu em uma troca de tiros.

A Sérvia, que sustenta o norte de Kosovo, está sofrendo pressão para resolver o impasse, mas não conseguiu fazê-lo e por causa disso não garantiu o status de candidato a adesão à União Europeia em 9 de dezembro. Enquanto isso, o governo sérvio tentou retomar os laços com Kosovo, incluindo acordos sobre reconhecimento mútuo de placas de registro de veículos, documentos de viagem e diplomas universitários.

Os sérvios de Kosovo dizem que os acordos equivalem ao reconhecimento de um Kosovo independente.

"Com o referendo, queremos mostrar que as pessoas no norte de Kosovo não querem ser parte das instituições de Kosovo", disse o prefeito de Krstimir Pantic, Kosovska Mitrovica, a jornalistas na noite de quarta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
KOSOVOREFERENDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.