Sobe para 20 número de mortos no Love Parade da Alemanha

Vítimas foram pisoteadas durante evento de música eletrônica; feridos subiram para 511

Efe,

26 de julho de 2010 | 17h15

Pessoas saem correndo após acesso de pânico no qual pessoas foram esmagadas

 

BERLIM- O número de mortos na confusão ocorrida no festival de música eletrônica Love Parade subiu para 20 nesta segunda-feira, 26, após uma alemã de 21 anos gravemente ferida ter morrido, informaram fontes policiais.

 

A polícia também corrigiu o número de feridos, que estão em 511, frente aos 342 que haviam sido reportados no domingo.

 

Entre as pessoas mortas há oito estrangeiros, cujos familiares estavam hoje na Alemanha para repatriar seus restos mortais.

 

Dois dias depois da tragédia, cresce a pressão sobre a polícia e os organizadores do evento pelas falhas na segurança que desencadearam a confusão que ocorreu no sábado a tarde na cidade de Duisburg.

 

Os organizadores do evento sofreram duras críticas por darem sinal verde para que pelo menos meio milhão de pessoas participassem da Love Parade em um local cuja capacidade máxima é de 250 mil. Além disso, segundo os críticos, as autoridades de Duisburg também erraram por terem concordado em receber a festa.

 

O governo da Alemanha pediu hoje para que não sejam tiradas conclusões precipitadas até ter as informações e a análise completas do ocorrido, enquanto aumentam as críticas pelas supostas falhas na segurança nos preparativos da tradicional festa.

 

É preciso tomar medidas para o futuro "e esclarecer até suas últimas consequências o ocorrido", disse o porta-voz do governo alemão, Ulrich Wilhelm, para pedir depois a todas as partes envolvidas - polícia, procuradoria, organizadores e autoridades de Duisburg - que contribuam no trabalho investigativo.

 

O porta-voz insistiu na necessidade de atuar com cautela na hora de tirar conclusões e atribuir responsabilidades prematuras, até ter todas as informações exatas.

 

No ano passado, a vizinha Bochum, de características parecidas, se recusou a promover o festival por não se sentir em condições de oferecer a segurança necessária.

 

A procuradoria de Duisburg anunciou ontem a abertura de um inquérito por suposto homicídio por negligência e prosseguiu hoje com as declarações de testemunhas e especialistas, para saber se houveram tais erros.

 

O prefeito de Duisburg, Adolf Sauerland, sofreu agressões e insultos e teve até de ser protegido por seus guarda-costas, no domingo, ao se aproximar do lugar da tragédia, onde familiares, amigos e outras pessoas depositaram flores e velas em memória das vítimas.

 

Criada em 1989 em Berlim e transformada ao longo dos anos no maior festival de música eletrônica do mundo, a Love Parade deixará de ser realizada, por opção dos organizadores, após a tragédia do sábado. A cidade de Gelsenkirchen, onde seria realizada a festa em 2011, confirmou a decisão.

 

"É correto que após a tragédia de Duisburg (o evento) deixe de ser realizado. No futuro, sempre estaria denegrido pelo ocorrido", declarou o porta-voz da prefeitura de Gelsenkirchen, Martin Schulmann.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.