Sobe para 250 número de mortos em terremoto na Itália

Na madrugada desta quarta, duas novas réplicas do tremor voltaram a assustar a população da região afetada

Agências internacionais,

08 de abril de 2009 | 03h59

O número de mortos no terremoto que castigou na última segunda-feira o centro da Itália já chega a 250, segundo os últimos dados divulgados pela Defesa Civil. Na madrugada desta quarta-feira, 8, dois novos tremores foram registrados.

 

Foto: Reuters

Vista aérea de parte da cidade de Áquila

 

Veja também:

linkNão há vítimas brasileiras na Itália, diz Itamaraty

linkAutoridades ignoraram alerta de terremoto na Itália

linkPerda de patrimônio cultural amplia catástrofe em Áquila 

email Está na Itália? Envie seu relato

lista Brasileiros contam como enfrentaram o tremor

lista Cronologia: Piores tremores dos últimos anos

especialEntenda como acontecem os terremotos

mais imagens Fotos: Veja as imagens

video TV Estadão: Vídeo mostra a destruição em Áquila

 

Trata-se de réplicas do terremoto que na segunda-feira devastou a região e que chegaram a 3,5 e 3,7 graus de magnitude na escala Richter. O primeiro tremor aconteceu às 5 horas (meia-noite, Brasília), enquanto o segundo ocorreu às 6h27 (1h27).

 

Segundo a imprensa local, entre os mortos no terremoto ainda há 11 pessoas que não foram identificadas. Desde a segunda-feira, especialistas registraram 353 tremores nessa região da Itália.

 

 

 

Na noite de terça-feira, 7, a réplica mais forte derrubou edifícios, incluindo partes da basílica e da estação na cidade de Áquila. O prefeito da cidade disse que o tremor deixou um morto. Um homem de 76 anos teria morrido após ter um ataque do coração.

 

O primeiro-ministro Silvio Berlusconi declarou estado de emergência e enviou tropas para a região, montou 20 acampamentos e 16 cozinhas para fornecer alimentos e acomodação para 14 mil pessoas.

 

Ainda na noite de terça-feira, equipes resgataram com vida uma garota de 20 anos após ficar sob os escombros de um edifício de 4 andares por 42 horas.

 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ligou na terça ao primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, para expressar suas condolências e oferecer a ajuda americana. Em comunicado, a Casa Branca informou que Obama expressou a Berlusconi "suas mais profundas condolências e as do povo americano" para os familiares das vítimas e aos feridos no tremor. Os Estados Unidos, afirmou o presidente, "estão dispostos a ajudar o povo italiano neste momento de necessidade". Até agora, foram contabilizados 1,5 mil feridos - 100 com gravidade - e 17 mil deslocados.

 

Impostos Suspensos

 

Para ajudar os desabrigados pela tragédia, o diretor da Agência Tributária italiana, Attilio Befera, anunciou em declarações à emissora "Radio 1" que foram suspensas as cobranças de impostos locais e nacionais para os municípios atingidos. Enquanto isso, a Defesa Civil avisa aos moradores que desconsiderem uma série de mensagens enviadas por telefone celular alertando sobre um suposto novo terremoto que aconteceria em breve, o que provocou cenas de pânico e obrigou-a a desmentir o trote através dos meios de comunicação.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.