Sobe para 63 o número de mortos em explosão na Ucrânia

Explosão de gás metano aconteceu em uma mina de carvão; há cerca de 37 desaparecidos

AE-AP,

18 de novembro de 2007 | 20h27

Uma explosão de gás metano matou pelo menos 63 trabalhadores da mina de carvão Aleksandr Zasiadko, na região de Donetsk, na Ucrânia, durante a madrugada deste domingo, 18. Cerca de 37 mineiros continuavam desaparecidos até o fim da tarde. A explosão, causada pela alta concentração de metano, aconteceu às 3h11 (horário local), a uma profundidade de 1.078 metros. "O destino dos desaparecidos é incerto", declarou o primeiro-ministro, Viktor Yanukovich. Um porta-voz do sindicato dos mineiros disse que as chances de eles serem encontrados com vida são pequenas. De acordo com dados oficiais, 457 trabalhadores estavam na mina no momento da explosão. Mais de 350 foram resgatados. Funcionários do governo informaram que 27 foram internados em um hospital. A alta concentração de metano na zona impedia o rápido avanço das equipes de resgate, que nem sequer chegaram ao foco da explosão. Uma comissão governamental que inclui o vice-primeiro-ministro da Ucrânia, Andrei Kliuyev, investiga as circunstâncias do acidente. As minas da Ucrânia são consideradas entre as mais perigosas do mundo. Em 2004, aproximadamente 30 trabalhadores morreram em uma explosão na mina de carvão de Krasnolimanskaya, também em Donetsk. Em 2002, também na mina Zasyadko, cerca de 15 pessoas morreram. Em janeiro de 2001, nove mineiros perderam a vida em Krasnolimanskaya.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.