Sobrevivente britânico do ebola vai aos EUA para doar sangue

Um britânico que sobreviveu ao vírus ebola após receber tratamento em Londres viajou aos Estados Unidos para tentar ajudar outro paciente com a doença, informou a Secretaria de Relações Exteriores do Reino Unido nesta quinta-feira.

REUTERS

18 de setembro de 2014 | 14h55

De acordo com a mídia, William Pooley planeja doar seu sangue, que provavelmente contém anticorpos que podem ajudar a combater o vírus, para uma transfusão emergencial a um paciente com ebola no Estado norte-americano de Atlanta.

Um médico dos EUA que trabalhava para a Organização Mundial da Saúda (OMS) está recebendo tratamento no hospital da Universidade Emory, em Atlanta, após ser infectado pelo ebola em Serra Leoa.

Um porta-voz do hospital Emory não confirmou, nesta quinta-feira, se o médico, que não teve seu nome revelado, receberá doação de sangue do britânico, alegando a proteção da privacidade do paciente.

Há dois pacientes com ebola em tratamento nos Estados Unidos atualmente. Um porta-voz do hospital de Nebraska onde outro norte-americano está recebendo tratamento para o vírus disse que o britânico não estava a caminho do local.

Pooley, de 29 anos, contraiu o vírus enquanto trabalhava como enfermeiro voluntário em Serra Leoa. Ele recebeu alta este mês de uma unidade especial de isolamento no Hospital Royal Free, em Londres.

O jornal inglês Evening Standard disse que Pooley e o médico que ele espera ajudar nos EUA seriam amigos próximos, após terem trabalhado juntos em Kenema, Serra Leoa. Ambos tem o mesmo tipo sanguíneo, o que faz de Pooley um doador perfeito, segundo o jornal.

Não há qualquer cura comprovada para o ebola, um vírus letal que foi descoberto há quase 40 anos em florestas na África. O pior surto registrado da doença, que já matou mais de 2.630 pessoas na África Ocidental, levou a uma corrida contra o tempo em busca de tratamentos ou vacinas para o vírus.

(Reportagem de Stephen Addison, em Londres, e Colleen Jenkins, em Winston-Salem, na Carolina do Norte)

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHAEBOLASOBREVIVENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.