Socialistas em vantagem sobre conservadores na Espanha

A um mês das eleições, jornais 'ABC' e 'El País' divulgaram pesquisas que apontam os primeiros resultados

EFE

03 de fevereiro de 2008 | 02h35

O governamental Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) abriu três pontos de vantagem em relação ao conservador Partido Popular (PP) a um mês das eleições gerais que serão realizadas em 9 de março, segundo pesquisas publicadas neste domingo pela imprensa espanhola. Os jornais "ABC" (conservador) e "El País" (liberal) divulgaram em suas edições impressas pesquisas que apontam os primeiros resultados percentuais em estimativa de voto durante a pré-campanha eleitoral. A pesquisa do jornal "ABC", elaborada pelo Instituto DYM e realizada entre 21 e 31 de janeiro, concede uma vantagem de 3,8 pontos aos socialistas frente aos populares. Desta forma, o PSOE obteria 42,4% dos votos, seguido de perto pelo PP, que ficaria com 38,6%. A terceira legenda mais votada seria a coalizão esquerdista IU (Esquerda Unida), com 4,2%, longe dos dois partidos que lideram a disputa. Enquanto isso, a pesquisa da Metroscopia para o periódico "El País", elaborada entre 26 e 30 de janeiro, outorga aos socialistas uma vantagem de 3,4 pontos (42%) frente aos populares (38,6%). De acordo com a pesquisa, a IU receberia 5% dos votos. Os dois estudos coincidem em assinalar que o PP, principal partido de oposição, tem mais garantido o voto de seus simpatizantes em comparação com a situação dos socialistas. Cerca de 77% e 73,3% dos eleitores populares do último pleito geral de março de 2004 estariam dispostos a repetir a escolha, segundo as pesquisas do "ABC" e do "El País", respectivamente. Já no PSOE, o número se reduz a 72% e 66,5%. A pesquisa do Instituto DYM para o "ABC" coletou opiniões de 1.015 pessoas em escala nacional e conta com uma margem de erro de 3,1%. Já a pesquisa da Metroscopia foi realizada a partir da amostragem obtida de 2 mil entrevistas em um âmbito nacional e tem uma margem de erro de 2,2%.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.