Socialistas espanhóis marcam posição contra ataques da Igreja

O Partido Socialista Operário Espanhol(Psoe) garantiu na quarta-feira que não vai recuar na defesadas liberdades civis, numa resposta a uma manifestaçãorealizada em Madri no domingo em defesa da família cristã. Numa nota intitulada "As coisas em seu lugar", ossocialistas responderam à manifestação de alguns integrantes dahierarquia da Igreja Católica, considerada por eles de caráterpolítico. A Igreja nega. Na manifestação de domingo, bispos disseram que a famíliatradicional cristã está em perigo devido às leis aprovadaspelos socialistas desde que eles assumiram o poder, em 2004,como a redução da influência da Igreja na educação e aaceleração do divórcio. O ato também atacou o aborto, que tem se mantido nonoticiário por causa de operações contra clínicas ilegais. "Na Espanha da Constituição cabem todos, todo mundo tem seulugar, todo mundo tem direito a ter direitos, pense o quepensar, professe uma religião ou não", disse oprimeiro-ministro José Luis Rodríguez Zapatero sobre a nota,durante um evento em Almonte, Huelva. "Essa é a Espanha que queremos, a que quer a imensa maioriados espanhóis, e essa Espanha vai continuar assim", acrescentouele. Os socialistas ressaltam que durante seu governo foramadotadas medidas para fomentar a natalidade, conciliar a vidatrabalhista e familiar e apoiar as famílias com dependentes.Mas também foram aprovadas normas para criar novos direitos: ocasamento homossexual, a igualdade sexual ou a reforma da leido divórcio. O Psoe afirma que não recuará nem um passo e que continuarátrabalhando para que "os cidadãos espanhóis sejam mais livres ecom mais direitos, para que, ao mesmo tempo, nossa convivênciaseja cada vez mais respeitosa e tolerante."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.