Socialistas fazem última tentativa de formar governo na Grécia

O líder socialista grego Evangelos Venizelos fará uma última tentativa, nesta quinta-feira, de formar um governo e evitar novas eleições, depois que os eleitores rejeitaram os partidos que defendem a ajuda internacional e levaram à Grécia a uma grave crise política.

DINA KYRIAKIDOU, REUTERS

10 Maio 2012 | 07h55

As chances são pequenas de Venizelos conseguir fechar um acordo, depois que os conservadores e os radicais de esquerda não conseguiram formar uma coalizão em três dias de negociações após as eleições de domingo.

A crise provocou ameaças de exclusão a Grécia da zona do euro, e alguns Estados da União Europeia se posicionaram contra o pagamento de mais uma parcela de ajuda à Grécia, feito nesta quinta-feira.

Com a provável convocação de novas eleições em três a quatro semanas, e Atenas provavelmente ficando sem dinheiro em junho, precisando adotar novas medidas de austeridade em troca de recursos externos, o jornal financeiro Kerdos alertou em sua manchete: "O tempo está acabando".

Venizelos disse que vai manter os esforços para formar um novo governo "porque é do interesse nacional".

"Prolongar estar incerteza apenas fere o país e sua economia, e, no final, os mais fracos e os desempregados", disse ele a repórteres.

(Reportagem adicional de Karolina Tagaris, Renee Maltezou, Tatiana Fragou, Ingrid Melander e George Georgiopoulos)

Mais conteúdo sobre:
GRECIA SOCIALISTAS GOVERNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.