Soldados matam 12 combatentes do PKK no sudeste da Turquia

Forças de segurança turcas mataram 12 militantes curdos em confrontos no sudeste da Turquia, nesta terça-feira, depois que insurgentes tentarem infiltrar-se em um posto militar, no episódio mais recente de um crescente ciclo de violência.

Reuters

02 de outubro de 2012 | 12h22

Militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado um grupo terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia, realizaram uma série de ataques contra alvos militares nos últimos meses, intensificando a insurgência que dura há 28 anos.

Rebeldes do PKK tentaram invadir um posto militar no distrito de Semdinli, na província de Hakkari, uma região montanhosa que faz fronteira com o Iraque e o Irã e que tem testemunhado frequentes embates no último ano.

Trocas de tiros subsequentes irromperam com as forças de segurança, o que resultou na morte de 12 membros do PKK, afirmaram fontes do setor de segurança. Os militantes não puderam entrar no posto militar e uma operação foi lançada nas redondezas da região, disseram.

Os confrontos recentes têm sido dos mais violentos desde que o PKK assumiu a luta armada em 1984, com o objetivo de estabelecer um Estado curdo. Mais de 40 mil pessoas foram mortas no conflito.

(Reportagem de Seyhmus Cakan)

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIACONFRONTOPKK*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.