Soldados turcos cruzam a fronteira norte do Iraque

Cerca de 300 soldados invadem o Curdistão em perseguição aos militantes do PKK, mas não houve confrontos

BBC Brasil,

18 de dezembro de 2007 | 09h02

  Autoridades iraquianas afirmam que cerca de 300 soldados turcos cruzaram a fronteira ao norte do Iraque na madrugada desta terça-feira e estão situados três quilômetros dentro do país. Veja também:Rice pede fim da tensão entre curdos e árabes no IraqueEntenda o conflito entre turcos e curdos   Trata-se da primeira incursão das tropas turcas em território iraquiano desde a autorização concedida pelo Parlamento turco para a realização de operações militares no país vizinho, aprovada em outubro. A ação aconteceu no mesmo dia em que a Secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, visitou o Iraque e pediu aos líderes do país que acelerem a reconciliação nacional. Em sua oitava visita como secretária de Estado, Rice pretendia destacar os progressos na redução da violência e fortalecimento da economia, segundo assessores. "O que falta aqui, e é absolutamente necessário em longo prazo para garantir tudo isso, é progresso político", disse a jornalistas David Satterfield, coordenador do Departamento de Estado para o Iraque. Um porta-voz das forças curdas de segurança afirmou à BBC que os soldados entraram por uma área chamada Seeda Kan - zona fronteiriça montanhosa e de difícil acesso entre o Iraque, a Turquia e o Irã. O presidente turco, Abdullah Gul, disse que Exército está fazendo "o que é necessário". Fontes do Exército turco confirmaram a operação.  O Exército turco acusa rebeldes do movimento separatista curdo PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) de usar bases localizadas no norte do Iraque para lançar ataques contra alvos na Turquia.  A incursão acontece dois dias depois de um bombardeio de aviões turcos contra alvos do no Iraque.  Oficiais iraquianos afirmam que as ofensivas do final de semana atingiram dez vilarejos e segundo membros do PKK, os ataques provocaram sete mortes.  Representantes da população de etnia curda iraquiana, que é vastamente majoritária no norte do país, condenou a incursão. "A Turquia quer transferir os problemas para o território do Curdistão no Iraque", disse Fouad Hussein, oficial do governo regional curdo de Mahmoud Barzani.  A Turquia deslocou cerca de cem mil soldados, tanques, artilharia e aviões para a região montanhosa que faz fronteira com o norte do Iraque.  Há um temor que a Turquia cumpra com as ameaças de um ataque amplo por terra no norte do Iraque, o que poderia causar uma desestabilização na única área do país que parece viver em clima de normalidade.   Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
TurquiaIraquePKK

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.