Sósia de Obama atua em comercial de ONG racial na França

O movimento negro francês usou um sósia do presidente eleito dos EUA, Barack Obama, em videoclipes lançados na segunda-feira para denunciar uma supostamente discriminação em revistas policiais. Nos clipes, divulgados pela Internet, um ator passando-se por Obama passeia pelas ruas de Paris quando é parado e revistado pela polícia sem razão aparente. A ONG Cran disse que o entusiasmo gerado pela posse de Obama na terça-feira da próxima semana ajudará a chamar a atenção para a sua causa. Em entrevista coletiva ao lado do sósia de Obama, Michael Lamar, o presidente da Cran, Patrick Lozes, disse que o comercial é "um truque de estilo que nos permite falar em substância". Lamar, que é norte-americano, trabalha num banco em Filadélfia e contou que no dia da gravação divertiu os transeuntes com acenos e gritos de "Sim, podemos!". As estatísticas oficiais da polícia francesa não apontam a origem étnica das pessoas revistadas nas ruas, e a polícia nega que haja discriminação contra árabes e negros, como dizem os ativistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.