Shannon Stapleton/AP
Shannon Stapleton/AP

Strauss-Kahn processa mídia francesa e conselheiro de Sarkozy

Ex-chefe do FMI pretendia anunciar sua candidatura à presidência da França quando foi preso

REUTERS

22 de novembro de 2011 | 11h33

PARIS - O ex-diretor-gerente do FMI Dominique Strauss-Kahn, que era considerado favorito à presidência da França antes do escândalo das acusações de assédio sexual, posteriormente retiradas, está processando diversos jornais e um conselheiro do presidente Nicolas Sarkozy por causa das reportagens sobre ele, informaram seus advogados nesta terça-feira, 22.

Os advogados, atuando em nome de Strauss-Kahn e sua mulher, Anne Sinclair, ex-estrela de TV e rica herdeira, informaram que estavam processando o jornal francês Le Figaro e diversas revistas francesas, além de Henri Guaino, consultor sênior de Sarkozy.

"Nem Anne Sinclair nem Dominique Strauss-Kahn desejam limitar a livre expressão de ideias e a circulação de informação, mas também não aceitam ter sua privacidade explorada por razões puramente comerciais", disseram eles em comunicado.

A declaração dos advogados não apontou exatamente em que base legal o processo estava sendo levado, mas especificou que era uma ação criminal no caso de Henri Guaino.

O ex-chefe do Fundo Monetário Internacional estava pronto para anunciar sua candidatura à presidência da França quando foi preso em Nova York em 14 de maio e acusado de tentar estuprar a camareira de um hotel.

Promotores dos EUA retiraram as acusações citando dúvidas sobre a credibilidade da testemunha, deixando Strauss-Kahn livre para retornar à França, onde a Justiça decidiu que outra acusação de assédio sexual contra ele foi apresentada tarde demais para ser levada aos tribunais.

A mídia francesa vem publicando reportagens regulares nas últimas semanas sobre uma investigação de prostituição no norte da França e o nome de Strauss-Kahn vive aparecendo. Ele já pediu para ser convocado para se explicar aos investigadores.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCASTRAUSSKAHNPROCESSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.