Subempreiteiros nucleares da França buscam direitos iguais

Subempreiteiros da indústria nuclear da França pedem a mesma segurança e as mesmas condições de emprego dos funcionários da estatal EDF, disse o sindicato CFDT nesta sexta-feira.

REUTERS

22 de abril de 2011 | 13h38

A França, país que mais depende da energia nuclear do mundo, tem 80 por cento dos funcionários de manutenção como subempreiteiros nos 58 reatores nucleares, contratados de empresas como Vinci, GDF Suez e Bouygues.

"O uso de subempreiteiros em usinas nucleares significa que os serviços básicos fogem de toda a responsabilidade do gerenciamento dos funcionários, ganham mais flexibilidade e transferem riscos e dificuldades profissionais", disse o sindicato CFDT em comunicado.

Enquanto funcionários da EDF tem contratos do setor público, que significa um trabalho para a vida toda, subempreiteiros do setor privado estão vulneráveis a cortes de empregos.

"Trabalhadores de operadoras de reatores nucleares têm direitos sociais melhores que os subempreiteiro", disse o CFDT.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCANUCLEARDIREITOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.