Suécia detém neonazista suspeito de roubar placa de Auschwitz

Letreiro que diz 'O trabalho liberta', roubado e recuperado em dezembro, é um dos símbolos do Holocausto

Associated Press,

11 de fevereiro de 2010 | 13h07

Sobreviventes do Holocausto deixam campo após visita. Foto: Peter Andrews/Reuters - 27/01/2009

ESTOCOLMO - A polícia sueca prendeu nesta quinta-feira, 11, um dos suspeitos de roubar a histórica placa "Arbeit macht frei" (O trabalho liberta) do campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, um dos símbolos mais conhecidos do Holocausto.

De acordo com as autoridades suecas, Anders Hogstrom, de 34 anos, é um ex-líder neonazista e foi preso por um mandado válido em toda a União Europeia. Antes da extradição do suspeito for decidido, ele receberá um advogado e será interrogado, segundo a promotora Agnetha Hilding Qvarnstrom.

A Justiça polonesa diz que Hogstrom pode ser acusado de furto de bem cultural. A placa foi roubada no dia 18 de dezembro e recuperada três dias depois. Cinco pessoas foram presas na ocasião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.