Suécia reconhece genocídio armênio e Turquia reage

Decisão vai contra recomendações do próprio chanceler sueco; embaixadora turca abandonará a Suécia

Efe,

11 de março de 2010 | 18h12

Uma resolução emitida pelo parlamento sueco classificando como genocídio os massacres de 1915 do Império Otomano contra os armênios provocou uma dura reação da Turquia nesta quinta-feira, 11. O país retirou sua embaixadora na Suécia devido a decisão parlamentar.

 

Veja também:

linkEUA avançam para reconhecer genocídio de armênios em 1915

 

A Turquia considera que a decisão "joga com a história", segundo a embaixadora turca, Tergün Korutürk, afirmou a televisão estatal sueca SR, depois de reiterar seu propósito de abandonar a Suécia "assim que possível".

 

A oposição social-democrata sueca aprovou apenas por um voto de diferença e graças ao apoio de setores conservadores a resolução que qualifica como genocídio os combates que deixaram 2,5 milhões de armênios mortos.

 

A decisão parlamentar vai contra as recomendações do próprio ministro de Relações Exteriores sueco,Carl Bildt, que havia advertido que a resolução poderia colocar em perigo o processo de reconciliação em curso entre a Turquia e a Armênia.

 

A reação turca segue o conflito bilateral derivado de uma resolução similar recente, por parte da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, que provocou tensões nas relações entre Washington e Ancara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.