Suíça condena 4 controladores de vôo por colisão de aviões

Acidente em 2002 matou 71 pessoas, incluindo dezenas de crianças russas e familiares que viajavam em férias

Agência Estado e Associated Press,

04 de setembro de 2007 | 12h12

Um tribunal suíço considerou culpados de homicídio culposo (sem intenção) quatro funcionários da empresa suíça de controle de tráfego aéreo Skyguide pela morte de 71 pessoas em uma colisão entre dois aviões ocorrida há cinco anos.Três réus foram sentenciados nesta terça-feira, 4, a um ano de prisão com direito a suspensão condicional da pena e um foi condenado a pagar multa de 13.500 francos suíços (equivalente a cerca de R$ 22 mil) por sua responsabilidade na colisão, ocorrida em 1º de julho de 2002. Os quatro réus condenados terão de arcar com as custas do processo.Outros quatro funcionários da companhia privada Skyguide apontados como réus foram absolvidos pelo tribunal. A promotoria pedia condenação de seis a 15 meses de prisão para os oito réus.A tragédia envolveu um avião de passageiros da Bashkirian Airlines e uma aeronave de carga da DHL. Os dois pilotos do avião de carga e os 69 ocupantes da aeronave de passageiros morreram. A colisão ocorreu sobre a cidade alemã de Ueberlingen.Entre os mortos no avião de passageiros havia dezenas de crianças russas e familiares que viajavam em férias para a Espanha.Apesar de a tragédia ter ocorrido quando os aviões sobrevoavam a Alemanha, aquela faixa de espaço aéreo estava sob responsabilidade dos controladores da Skyguide.ResponsabilidadeO dinamarquês Peter Nielsen era o único controlador de vôo trabalhando ativamente no momento da colisão. Alguns dos réus tentaram atribuir a Nielsen a culpa, acusando-o de não ter seguido os procedimentos adequados.Mas os promotores argumentaram que a cultura de negligência e a falta de consciência sobre os riscos por parte da companhia de controle de tráfego aéreo contribuíram para o acidente e que Nielsen não era o único culpado.Nielsen foi assassinado em 2004 por um russo que perdeu a esposa e os filhos na tragédia. Dos 71 mortos, 52 eram crianças russas. Vitaly Kaloyev cumpre atualmente sentença de cinco anos e três meses de reclusão por ter matado Nielsen a facadas.Antes de ser morto, Nielsen havia dito a investigadores que trabalhava em condições estressante na noite da tragédia porque um colega havia feito uma pausa e porque uma manutenção no sistema de controle de vôo estava prejudicando o monitoramento e as comunicações.Promotores relataram que torres de controle vizinhas à área monitorada por Nielsen não haviam sido informada que a principal linha telefônica da Skyguide estava fora do ar na noite do acidente. Controladores alemães tentaram avisar Nielsen, mas não conseguiram.Quando Nielsen se deu conta da situação, ele deu um aviso aos pilotos que eles estavam a apenas 44 segundos de uma colisão. Por engano, ele recomendou ao piloto russo que baixasse a altitude, levando-o a atingir em cheio o avião de carga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.