Superar crise será o principal tema das eleições no Reino Unido

Enquete do jornal "The Sunday Times" aponta que maioria dos britânicos querem cortes da despesa do país

Efe,

13 de setembro de 2009 | 16h45

A estratégia política para superar a crise e recuperar as finanças do país - diante da continuidade do investimento público ou do corte radical da despesa - será um dos temas centrais das próximas eleições gerais, segundo enquete divulgada neste domingo, 13.

 

Enquanto os dois principais partidos se posicionam sobre os temas, "The Sunday Times" publica neste domingo uma pesquisa que indica que a maioria dos britânicos prefere os cortes.

 

Cerca de 60% dos entrevistados pelo YouGov se mostraram partidários do enxugamento dos gastos públicos e redução do tamanho do Estado, e outros 21% apóiam o aumento dos impostos como forma de diminuir o déficit fiscal, calculado em 175 bilhões de libras (200 bilhões de euros).

 

Segundo o jornal, a rejeição do eleitorado a um possível aumento tributário aumenta a pressão sobre o primeiro-ministro, Gordon Brown, quem já anunciou um aumento fiscal que afetará à faixa de contribuintes com renda mais alta.

 

Nesta semana, Brown deve discursar no congresso anual da Confederação de Sindicatos, onde, segundo a imprensa, ele vai advertir os filiados sobre a necessidade de frear as despesas.

 

Apesar dos esforços de Brown em apresentar as alternativas - investir ou fazer cortes - vários de seus ministros, entre eles Peter Mandelson e Alistair Darling, afirmaram que haverá enxugamento dos gastos públicos e inclusive a eliminação de alguns populares programas governamentais.

 

A poucos meses das eleições, previstas para meados de 2010, os conservadores liderados por David Cameron estão na frente nas pesquisas de intenções de votos, com 41% do apoio do eleitorado, seguido pelos trabalhistas com 27% e do Partido Liberal-Democrata, com outros 17%.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesReino Unidocrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.