Suposta carta das Brigadas Vermelhas pede por violência na Itália

Uma carta supostamente da organização radical de esquerda Brigadas Vermelhas pediu nesta sexta-feira por novos ataques contra políticos, banqueiros e jornalistas, alguns dias depois de o presidente da Itália advertir que o país corria o risco de retornar à violência política dos anos 1970.

REUTERS

25 Maio 2012 | 16h18

"A alvorada na nova revolução está aqui", lia-se na carta, entregue ao Il Giornale em Milão, informou o site do jornal. O Il Giornale é do irmão do ex-premiê Silvio Berlusconi, Paolo.

Essa é a segunda carta supostamente escrita pelas Brigadas Vermelhas e enviada à mídia em poucos dias. Nenhuma delas foi confirmada como sendo do grupo pelas autoridades.

A agência italiana de notícias Ansa recebeu uma carta na quinta-feira, supostamente das Brigadas Vermelhas, negando responsabilidade por um ataque a bomba em uma escola no sul da Itália que matou uma garota de 16 anos.

A carta mais recente culpou o "Estado fascista" pelo ataque de sábado em Brindisi "para aplacar a fúria das massas com o medo".

Um clima social turbulento tem dominado a Itália, com o agravamento da crise econômica.

Mais conteúdo sobre:
ITALIA BRIGADASVERMELHAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.