Supostos membros do ETA presos em Portugal vão à Justiça

Membros do grupo separatista basco cruzaram a fronteira e foram detidos por guardas portugueses no sábado

Efe,

11 de janeiro de 2010 | 12h14

Os dois supostos membros do ETA detidos no sábado em Portugal comparecerão nesta segunda-feira, 11, perante o Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa, informaram fontes da Polícia Judiciária portuguesa.

 

Os dois detidos foram transferidos da Torre de Moncorvo pela Polícia Judiciária no domingo e serão interrogados pelas autoridades portuguesas antes de iniciar o processo de extradição para a Espanha.

 

Garikoitz García Arrieta e Iratxe Yáñez Ortiz de Barron são acusados de desobediência às autoridades portuguesas, furto de veículo e posse ilegal de armas, segundo fontes policiais.

 

Os supostos membros do ETA entraram em Portugal pela fronteira de Bemposta e percorreram dezenas de quilômetros até a localidade de Torre de Moncorvo, a cerca de 40 quilômetros da fronteira, no sul do distrito de Bragança.

 

As detenções ocorreram em Portugal depois que uma patrulha da Guarda Civil espanhola, integrada por dois agentes, efetuou na noite de sábado um controle de rotina de veículos na zona urbana de Bermillo de Sayago (Zamora), na estrada CL-527, onde barrou o motorista da caminhonete.

 

Quando os agentes iam abrir o porta-malas da caminhonete para ver o que havia dentro, o motorista aproveitou para escapar e fugiu com o carro da Guarda Civil em direção a Fermoselle (Zamora), de onde cruzou a fronteira de Bemposta para Portugal, onde foi detido.

 

A informação enviada pelas forças de segurança espanholas às portuguesas permitiu deter, posteriormente, uma mulher que viajava em um carro que, assim como a caminhonete, tinha placa francesa.

Tudo o que sabemos sobre:
EuropaPortugalETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.