Suspeito de atacar cartunista pode pegar prisão perpétua

Promotoria dinamarquesa indicia somali ligado a Al-Qaeda por tentativa de homicidio e terrorismo

Reuters,

11 de janeiro de 2010 | 13h11

Uma promotoria estadual da Dinamarca indiciou o somali que invadiu a casa do cartunista Kurt Westergaard por tentativa de homicídio e terrorismo. Westergaard criou polêmica em 2005 ao fazer charges do profeta Maomé com uma bomba no turbante.

O acusado, que segundo a polícia, tem ligações com a Al-Qaeda, invadiu a casa do cartunista no último dia 1. De acordo com Marian Thomsen, procurador do Estado da Jutlândia Oriental, as acusações foram ampliadas porque havia um propósito maior na tentativa de homicídio.

VEJA TAMBÉM:

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

documento Perfil: O desafio de um líder em conflito

Segundo as leis dinamarquesas, alguns crimes são passíveis de prisão perpétua se forem cometidos com intenções terroristas. Tentativas de assassinato comuns têm pena menor.

O suspeito, cuja identidade não foi divulgada, entrou na casa do cartunista com um machado e uma faca, mas Westergaard conseguiu escapar. A polícia interveio e atirou no somali, que ainda conseguiu atirar o machado contra o policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.