Suspeito de matar Litvinenko diz querer ser presidente russo

Alexander Lugovoy, também ex-agente e procurado pelo Reino Unido, concorrerá a uma vaga no Parlamento

REUTERS

17 de setembro de 2007 | 12h12

O russo procurado pelo Reino Unido sob a acusação de envolvimento no assassinato do ex-agente Alexander Litvinenko, em Londres, afirmou nesta segunda-feira, 17, que gostaria de se tornar presidente da Rússia. Andrei Lugovoy, também ex-agente dos serviços de segurança, disse que concorrerá a uma vaga no Parlamento pelo Partido Liberal Democrático (LDPR), comandado pelo ultranacionalista Vladimir Zhirinovsky. Quando questionado por um repórter sobre se suas aspirações políticas iam além de ser eleito como parlamentar, Lugovoy respondeu: "Como qualquer cidadão da Federação Russa, gostaria de ser presidente". Promotores britânicos requisitaram a extradição do ex-agente russo a fim de que fosse julgado em Londres pelo assassinato de Litvinenko, que morreu em um hospital britânico no dia 23 de novembro, após receber uma dose fatal do elemento radioativo polônio-210, um isótopo raro e altamente tóxico.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIASUSPEITOLITVINENKOPRESIDENTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.