Suspensos os voo do Tupolev presidencial búlgaro após morte de Kaczynski

Suspensos os voo do Tupolev presidencial búlgaro após morte de Kaczynski

Avião é o mesmo que causou a morte do presidente polonês no sábado

EFE

12 de abril de 2010 | 12h11

SOFIA - As autoridades búlgaras suspenderam temporariamente o serviço do avião presidencial búlgaro, um Tupolev 154, o mesmo modelo em que morreu no sábado em um acidente aéreo o presidente polonês Lech Kaczynski, junto com outras 95 pessoas.

 

A suspensão estará em vigor até que se esclareçam as causas do acidente com o Tupolev no qual viajava Kaczynski, que caiu perto da cidade russa de Smolensk, segundo declarou à agência de notícias EFE em Sofia o chefe dos pilotos do governo, Pencho Penchev.

 

A decisão foi tomada apenas algumas horas após o acidente, e depois de vários incidentes registrados no veículo que o presidente da Bulgária, Gueorgui Parvanov, usa.

 

Pilotos do governo indicaram à EFE que o acidente com o avião do presidente polonês serviu de advertência após uma série da avarias com o Tupolev 154 búlgaro nos últimos anos.

 

A última avaria aconteceu em janeiro de 2008, quando Parvanov viajava com uma delegação de 82 pessoas ao México em uma visita oficial.

 

Quando o avião decolou das ilhas Açores, onde havia feito uma parada para reabastecer, o trem de pouso emperrou, fazendo-o voltar para o solo.

 

Devido a esse incidente o presidente búlgaro teve que cancelar sua vista ao México já que não havia outra aeronave do governo e voltou para a Bulgária em um voo comercial.

 

Desde o ano passado a Bulgária possui além do Tupolev, outros dois aviões estatais para deslocamentos oficiais, um Airbus A 319 e um Falcon.

 

As autoridades búlgaras pensam em leiloar o Tupolev a algum tempo, em serviço a mais de 20 anos, por um preço inicial de 2,5 milhões de euros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.