Taxistas italianos anunciam greve contra liberalização

Os taxistas italianos decidiram nesta quarta-feira fazer uma greve nacional no dia 23 para protestar contra a liberalização dos setores de serviços, proposta pelo primeiro-ministro Mario Monti para estimular a recuperação econômica.

REUTERS

11 de janeiro de 2012 | 19h54

Monti busca intensificar a concorrência e reduzir privilégios de companhias dominantes. As medidas são parte de um pacote de reformas que se segue a um plano de austeridade econômica no valor de 33 bilhões de euros, aprovado no mês passado pelo Parlamento.

Os principais sindicatos de taxistas fizeram uma reunião em Bolonha, no norte do país, e convocaram a greve nacional, segundo uma fonte sindical que pediu anonimato. Além disso, os taxistas de Roma pretendem bloquear o tráfego no sábado nas ruas próximas do Circus Maximus.

Monti quer aumentar o número de concessões para táxis, que costumam ser passadas de pai para filho. Em 2007, quando o governo tentou pela última vez fazer isso, os motoristas pararam o trânsito de Roma por vários dias, até que o projeto fosse retirado.

Um subsecretário do primeiro-ministro disse nesta semana que o pacote de liberalização deve ser aprovado pelo gabinete até 20 de janeiro. As medidas afetam também setores como distribuidores de gás e combustível, farmácias, correios, transportes e trens regionais.

(Reportagem de Daniele Mari)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIATAXIGREVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.