Tchecos rejeitam plebiscito para escudo antimísseis dos EUA

Oposição não consegue maioria no Parlamento para aprovar consulta sobre instalação de sistema de defesa

Efe,

26 de outubro de 2007 | 09h28

O Parlamento da República Tcheca rejeitou nesta sexta-feira, 26, o projeto de lei para convocar um plebiscito sobre o radar da nova base antimísseis dos Estados Unidos no país centro-europeu, informaram fontes da Câmara.   Os EUA querem colocar em território tcheco e polonês equipamentos do seu sistema de Defesa Nacional contra Mísseis, para se proteger de um hipotético ataque com armas de destruição em massa.   A oposição social-democrata e comunista não conseguir levar adiante a proposta de categoria constitucional, para a qual era preciso uma maioria qualificada de 60% da assembléia, ou 120 cadeiras. Nesta sexta, 76 dos 144 legisladores presentes votaram a favor do plebiscito popular, informaram em Praga fontes da câmara baixa.   Os deputados do governante Partido Verde (SZ) se abstiveram, enquanto a principal formação da casa, o conservador Partido Cívico Democrático (ODS), e seu parceiro de coalizão no Executivo, a União Democrata-Cristã (KDU) não apoiaram a proposta legislativa, como era previsto.   A coalizão governamental, apesar de ter apenas 100 cadeiras das 200 do plenário, conseguir barrar qualquer proposta de categoria constitucional. O Parlamento ainda deve ratificar a construção do radar, decisão que deve ocorrer no início de 2008 e para a qual não há um consenso político nem apoio majoritário da população.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.