Tempestade de neve provoca atrasos no aeroporto de Madri

Barajas registra 70 atrasos; no litoral norte da China, mar chega a congelar por causa das baixas temperaturas

Efe,

11 de janeiro de 2010 | 08h34

 

Mau tempo impede aviões de decolarem no aeroporto de Barajas. Foto: Mondelo/Efe

MADRI - A neve e o gelo afetaram esta noite a operabilidade do aeroporto madrilenho de Barajas, onde há atrasos nas saídas, devido às operações de degelo dos aviões, e nas chegadas, depois que foram estabelecidos regulamentos nas aterrissagens pelas tarefas de limpeza das pistas.

link Onda de frio congela mar no litoral do norte da China

Segundo explicaram à Agência Efe fontes da Aeroportos Espanhóis e Navegação Aérea (Aena), foram mobilizados todos os meios humanos e técnicos disponíveis para minimizar os efeitos do frio e do gelo na operabilidade de Barajas.

 

Mas, apesar disso, se estabeleceram regras nas chegadas até limitar as aterrissagens a 38 movimentos por hora, frente aos 48 frequentes, de maneira intermitente, enquanto se procedia à limpeza das pistas, embora a Aena tenha assegurado que, às 22h (20h de Brasília), Barajas operava a plena capacidade.

 

VEJA TAMBÉM:
mais imagens Galeria de fotos: inverno cobre hemisfério norte de neve

Fontes aeroportuárias disseram à Efe que às 22h havia cerca de 70 voos de chegada com demora, que em alguns casos chegava a duas horas.

Desde sexta-feira passada, Barajas mantém ativado o nível laranja do Plano de Atuações de Inverno.

Além disso, os trens de alta velocidade (AVE) entre Madri e Andaluzia tiveram atrasos de meia hora e um trem que fazia a rota entre a capital e Cádiz descarrilou parcialmente ao entrar em Sevilha, sem que houvesse feridos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.