Giuseppe Cacace/AFP
Giuseppe Cacace/AFP

Terremoto afeta produção de queijo no norte da Itália

Abalo influenciará produção e exportação de iguarias culinárias da região de maior renome internacional

PHILI, REUTERS

22 Maio 2012 | 15h12

PULLELLA - O terremoto que atingiu o norte da Itália afetará a produção e a exportação das iguarias culinárias da região de maior renome internacional, os queijos Parmigiano Reggiano e Grana Padano.

Veja também:

link Itália: Monti visita cidades atingidas por terremoto 

A associação nacional de agricultores Coldiretti estimou danos de mais de 200 milhões de euros à agricultura da região, uma das áreas mais férteis e produtivas da Itália.

Alguns dos piores prejuízos ocorreram à produção do Parmigiano Reggiano, também chamado de queijo parmesão, e do seu eterno rival, o Grana Padano.

Os dois queijos curados são comidos ralados sobre massas, picados sobre saladas ou servidos em pedaços pequenos e irregulares em festas no mundo inteiro.

Os defensores apaixonados dos queijos podem ser comparados aos torcedores de times diferentes de uma mesma cidade.

Cerca de 300 mil rodas de Parmigiano Reggiano e 100 mil de Grana Padano, cada uma pesando cerca de 40 quilos, foram danificadas ao cair das estantes dos armazéns onde eram submetidas a um processo de cura de dois anos de duração.

Coldiretti disse que aproximadamente 10 por cento da produção de Parmigiano Reggiano e dois por cento da de Grana Padano foi afetada pelo terremoto.

Com o preço no varejo de cerca de 25 euros o quilo na Itália e mais caro no exterior, o Parmigiano Reggiano é um dos queijos mais caros da Itália. A região produz 3,3 milhões de rodas de Parmigiano Reggiano por ano.

Vários jornais italianos publicaram fotos na segunda-feira das centenas de rodas de queijo que caíram de prateleiras de sete metros de altura, onde ficam empilhadas como livros, no chão de uma antiga biblioteca.

"Perdemos dois anos de trabalho", disse Lorenza Caretti, cuja família dirige a cooperativa de queijo Sant' Angelo, na cidade de San Giovanni in Persiceto.

"Talvez consigamos vender parte disso para que seja usada nos produtos de queijos derretido, mas isso tem apenas 20 por cento do valor real", disse ela por telefone.

Ela disse que 22 mil rodas de queijo caíram no armazém da família durante o terremoto.

Mais conteúdo sobre:
ITALIA TERREMOTO QUEIJOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.