Terremotos na Itália devem custar 700 mi de euros a seguradoras

As seguradoras poderão ter de pagar até 700 milhões de euros como resultado dos terremotos que atingiram o norte da Itália neste mês, informou a agência que calcula riscos Eqecat nesta quarta-feira.

REUTERS

30 Maio 2012 | 16h43

O terremoto de 20 de maio e dois fortes tremores secundários nove dias depois custarão à indústria dos seguros entre 300 milhões de euros e 700 milhões de euros, disse a Eqecat.

A estimativa inicial da Eqecat, calculada antes dos tremores secundários de terça-feira, era de uma perda de entre 100 milhões e 200 milhões de euros.

Mais de 20 pessoas morreram com os abalos sísmicos, que danificaram estabelecimentos comerciais, prédios históricos e residências particulares na região de Emilia Romagna, deixando milhares de desabrigados.

A Eqecat, que calcula o impacto de desastres naturais sobre o nível da cobertura de seguros na área afetada, disse que poucos prédios de Emilia Romagna foram projetados para suportar terremotos, uma vez que são raros os tremores fortes na região.

As estimativas iniciais de prejuízo em terremotos costumam ser revisadas para cima, uma vez que o dano estrutural aos edifícios que não é visível de imediato aparece com o tempo.

(Reportagem de Myles Neligan)

Mais conteúdo sobre:
ITALIA TERREMOTOS SEGUROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.