Timoshenko perde cargo de premiê da Ucrânia por um voto

Ex-primeira-ministra foi indicana novamente para o cargo pelo presidente do país, Viktor Yushchenko

Agências internacionais,

11 de dezembro de 2007 | 14h21

Yulia Timoshenko, líder do bloco que tem seu nome, ficou a um voto de ser ratificada como primeira-ministra da Ucrânia pela Rada Suprema, o Parlamento unicameral ucraniano, nesta terça-feira, 11. A candidatura da carismática política, de 47 anos, proposta ao cargo pelo presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, obteve 225 votos. Para ser confirmada no cargo, ela precisava do apoio de 226 dos 450 deputados da Rada. Após a votação, o presidente do Legislativo, Arseni Yatseniuk, propôs uma nova rodada de votos, pois os cartões eletrônicos de dois deputados da coalizão de maioria estavam bloqueados. No entanto, a oposição não aceitou a proposta, e depois foi declarado um recesso de meia hora. A coalizão de maioria, formada pelos partidos que protagonizaram a Revolução Laranja de 2004, de Yulia Tymoshenko e a formação Nossa Ucrânia - Autodefesa Popular, conta com 227 cadeiras, do total de 450 do Parlamento. Antes das eleições parlamentares, realizadas em 30 de setembro, os partidos da Revolução Laranja decidiram que a legenda mais votada escolheria o primeiro-ministro, o que corresponde ao Yulia Tymoshenko. A maioria parlamentar decidiu incentivar a integração nas instituições ocidentais, retirar a imunidade dos deputados, abolir o serviço militar obrigatório e punir a troca de partidos.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.